A Escola de Música Villa-Lobos abre inscrições para o Curso Livre Arranjo em MPB, com o professor da Escola de Música Villa-Lobos Leandro Braga. O curso possui uma turma na Escola da Advocacia Geral da União.

Nesse curso você aprenderá: Análise Melódica, Revisão de Harmonia Básica, Grandes Grupos Instrumentais, Escrita para a “cozinha”, Instrumentos de Sopro: madeiras, metais e combinações, Combinações, Combinações Cordas/Metais/Madeiras, Estruturação definitiva do Arranjo, Finalização, Versões diferentes do mesmo arranjo.

Público alvo:

Instrumentistas e cantores a partir de 15 anos com um mínimo de domínio intermediário de seus instrumentos.

 

 

Aulas na Escola da Advocacia Geral da União:

Período: a partir de 25 de outubro

Terças, das 18h às 20h

 

Valor por aluno: R$ 350,00.
O valor pode ser parcelado no cartão de crédito em até 6x sem juros.

(consulte condições de pagamento na Secretaria do Curso Básico)

Número mínimo de alunos para abertura da turma: 5

Procedimentos:

O aluno deve ir diretamente na Secretaria do Curso Básico com os seguintes documentos:
1 cópia do RG
Duas fotos 3×4
1 cópia do comprovante de residência

 

 

Professor: Leandro Braga

O compositor, pianista e arranjador Leandro Braga já gravou com diversos nomes da música brasileira, entre eles Beth Carvalho, Chico Buarque, Caetano Veloso, Simone, Djavan, Tim Maia. Fátima Guedes, Emílio Santiago, Elba Ramalho, Guinga, Leny Andrade, Fafá de Belém, Adriana Calcanhoto, entre tantos outros. Com amplo conhecimento musical, gravou diversos CDs, transitando por diferentes gêneros. Ao lado de Romero Lubambo, gravou jazz; com Johnny Alf fez arranjos, composições e direção musical do álbum sobre a obra de Noel Rosa. Fora dos estúdios, Leandro foi responsável pela regência e direção musical da temporada paulista da ópera Evita, Escreveu vários trabalhos para orquestras Sinfônicas, a exemplo da orquestra do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Orquestra Petrobras Sinfônica e a Jazz Sinfônica de São Paulo.

Podem se inscrever alunos matriculados ou não na Escola de Música Villa-Lobos.

Informações para inscrição e dúvidas sobre formas de pagamentos, ligue para a Secretaria do Curso Básico: (21) 2232-6405 ramal 214.

http://www.villa-lobos.rj.gov.br/curso-livre-arranjo-em-mpb/

Leandro Braga preparou uma playlist com temas brasileiros de sua discografia homenageando a Independência do Brasil. Vamos curtir este som?

Do álbum “Primeira Dama”, Leandro selecionou a música “Alguém me avisou” em uma versão muito enérgica da música original. Do álbum “Pé na Cozinha”, a música “Valsa Negra”, composição feita para louvar a cultura negra, a principal na nossa cultura. E do álbum “Chiquinha Gonzaga”, foram selecionadas as músicas “Corta-jaca”, música de maior projeção de Chiquinha Gonzaga, com uma alma bem negra, e também as músicas “Atraente” e “Minha cara Francisca”, composição de Leandro dedicada a Chiquinha Gonzaga.

DSC_2382

Leandro Braga preparou uma playlist especial em homenagem ao Dia dos Namorados.

“Um Ariel de Saudades” e “Diana”, músicas compostas por Leandro Braga que integram o CD Pé na Cozinha. “Sonho Meu” e “Há Música no Ar”, músicas que integram o CD Primeira Dama feito em homenagem a D. Ivone Lara. “Smile”, música que integra o CD A Música de Chaplin e “Minha Cara Francisca”, composição de Leandro dedicada a Chiquinha que compõe o CD Chiquinha Gonzaga.

– Escolhi as músicas mais amorosas, mais ternas, as que mais exibem o amor como principal veículo da vida. (Leandro Braga)

A Escola de Música Villa-Lobos abre inscrições para o Curso Livre Arranjo em MPB, com o professor da Escola de Música Villa-Lobos Leandro Braga. O início das aulas está programado para 16 de maio de 2016.

Nesse curso você aprenderá: Análise Melódica, Revisão de Harmonia Básica,Grandes Grupos Instrumentais, Escrita para a “cozinha”, Instrumentos de Sopro: madeiras, metais e combinações, Combinações, Combinações Cordas/Metais/Madeiras, Estruturação definitiva do Arranjo, Finalização, Versões diferentes do mesmo arranjo.

Público alvo:

Instrumentistas e cantores a partir de 15 anos com um mínimo de domínio intermediário de seus instrumentos.

Início do curso:
1 de junho de 2016

Aulas:
Turma 1: Terças, das 18h às 20h
Turma 2: Quartas, das 12h às 14h

Valor: R$ 350,00.
O valor pode ser parcelado no cartão de crédito em até 6x sem juros.

Para se inscrever:

O aluno deve levar à Secretaria do Curso Básico duas fotos 3×4, documento de identidade e comprovante de residência.

Professor: Leandro Braga

O compositor, pianista e arranjador Leandro Braga já gravou com diversos nomes da música brasileira, entre eles Beth Carvalho, Chico Buarque, Caetano Veloso, Simone, Djavan, Tim Maia. Fátima Guedes, Emílio Santiago, Elba Ramalho, Guinga, Leny Andrade, Fafá de Belém, Adriana Calcanhoto, entre tantos outros. Com amplo conhecimento musical, gravou diversos CDs, transitando por diferentes gêneros. Ao lado de Romero Lubambo, gravou jazz; com Johnny Alf fez arranjos, composições e direção musical do álbum sobre a obra de Noel Rosa. Fora dos estúdios, Leandro foi responsável pela regência e direção musical da temporada paulista da ópera Evita, Escreveu vários trabalhos para orquestras Sinfônicas, a exemplo da orquestra do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Orquestra Petrobras Sinfônica e a Jazz Sinfônica de São Paulo.

Podem se inscrever alunos matriculados ou não na Escola de Música Villa-Lobos.

Informações para inscrição e dúvidas sobre formas de pagamentos, ligue para a Secretaria do Curso Básico: (21) 2232-6405 ramal 214.

http://www.villa-lobos.rj.gov.br/curso-livre-arranjo-em-mpb/

Em homenagem ao Dia das Mães, Leandro Braga preparou uma playlist especial com composições suas em homenagem a grandes mulheres.

“Minha Cara Francisca”, música que integra o CD Chiquinha Gonzaga, é uma composição de Leandro feita para homenagear Chiquinha Gonzaga. “Primeira Dama”, música composta por Leandro que recebe o mesmo nome do CD feito em homenagem a D. Ivone Lara. E no CD Pé na Cozinha, lançado em 1998, podemos desfrutar de três grandes homenagens do artista: “Colkeriana”, para Débora Colker; “Pavana”, para Ana Lúcia Zacharias e “À Semelhante”, para Elisa Lucinda.

Todas mães, de seus filhos e do Brasil. A cultura de nosso país deve muito a elas.

Desfrute desta playlist maravilhosa em: https://soundcloud.com/leandrobra…/…/playlist-1-homenagem-as

Caro Rio de Janeiro, muito prazer em revê-lo.

Venho te procurando há um bom tempo, mas entendo sua reclusão: é muita gente falando mal de ti, e sempre pelas costas. O Rio acabou, não existe mais, vai fechar, é o que dizem.

Mas eu queria reforçar nossa amizade, por isso estava à cata de ti. Para mim, acredito, pode ser mais fácil me declarar, pois quando eu nasci não foi em teus braços, não sou da gema. Mas vim te achar aqui, fascinado que sempre fui, e apaixonado que me tornei. Posso falar com propriedade, fui gostando cada vez mais de sua conversa, seu rosto e seus modos, às vezes um pouco mal-educados.

Vim te trazer um abraço, um sorriso. Acho que é o que está fazendo falta pra ti. Você tem um coração imenso, me recebeu com tanto afeto e ainda abre os braços para mim!

Creio que nós, seus filhos, vemos mais sua face do que sua alma. Você tem tantas belezuras, lindezas só vistas aqui, que às vezes atrapalha, nos fascina e desvia a atenção. Mas vou te contar um segredo, sei de ti, aprendi a ver tua alma tão simples e poderosa. E descobri sua essência: é a Poesia. Ela é tão abundante em seu peito, que pode nos atordoar e confundir. E quem aprende a te amar é que foi tragado por sua poesia, pois o resto, lagoas, cristos, pães, comunidades, ilhas, pedras, são apenas a expressão do poema que é seu coração.

Seus filhos sempre fomos condutores de seu interior, sua alma. Estamos precisando falar dela com carinho e generosidade, retomar a amizade que sempre tivemos. Precisamos sentir o vento, ele é que espalha sua alma pra dentro da nossa.

Não vou te abandonar, muito menos agora quando você precisa de mim. Vou tratar de suas moléstias, enfeitar suas janelas, te trazer comidas e bebidas. Conte comigo!

Mas te peço, não nos vire o rosto. Retribua nosso sorriso, reabra seus braços, respire fundo e nos traga novamente o vento. O vento da Poesia.

Leandro Braga

Cara Santa Cecília
Preciso conversar contigo: hoje é dia dos músicos, em tua homenagem, e parece que precisamos de uma ordem por aqui. Nada tão sério, como ajeitar documentos, tirar o pó da sala ou uma faxinazinha na cozinha.
Não quero parecer mal-agradecido, mas vou louvar os presentes que já nos deu, e pedir algumas correções de percurso, não me leve a mal.
Precisamos lembrar que o som, nossa argamassa, nos foi dado pela Natureza, pra gente tentar imitar e nunca conseguir.
Ajude a gente a se lembrar disso, mesmo que de vez em quando.
Por falar em humildade, agradeço pela música que faço, às vezes linda, às vezes nem tanto. Mas não me deixe esquecer que o que faço não passa de uma imitação pálida da Natureza.
Não me deixe me ver como um músico pop, jazzístico, chorão, sambista e nem, desculpe o termo, eclético. Peço sua ajuda pra me lembrar que entrar para esses times me distrai quanto aos outros.
Obrigado pelo instrumento e pela voz. Não faço a menor ideia de como nasceram, mas só pode ter sido um dom, ou seja, um presente às vezes desmerecido.
Se eu fizer sucesso com minha música, o que te agradeço, não me permita a vaidade ou a empáfia. Quando pudermos ter a dignidade, talento e bom humor dos garis, aí então vou começar a pensar que nosso esforço não é em vão.
Nunca permita que a gente se recuse a transmitir um conhecimento para um colega ou um aprendiz. Nossa arte é impossível de esconder, já que nem nossa é.
S. Cecília, tira a ribalta e o palco de nossas vidas. Acho que precisamos aprender que não somos especiais, bem dotados ou escolhidos.
Somos operários do som e imitadores da Natureza.
S. Cecília, se a senhora não existir, encaminhe essa prosa a quem de direito, mas não deixe de nos rodear: está fazendo um bom trabalho.
Sua benção.
Leandro Braga